quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Fingimento???Não ...Poesia!


O poeta é um fingidor, Fernando Pessoa (ele mesmo)
“O poeta é um fingidor,
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.


E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve
Mas só a que eles não têm.


E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.”
( “Autopsicografia”; 1930)

Fernando Pessoa dizia de si próprio que era “... um outro, enquanto poeta, outro que usava seu nome, mas não era ele”. Aos amigos, quando perguntavam sobre a vasta (e diversa) produção poética, respondia “... eu não sou ninguém e sou todos eles”. Profundamente ligado à mãe e à pátria portuguesa, Fernando Pessoa não é um tipo melancólico, mas sim romântico. Consciente da musicalidade das palavras, chama os poemas assinados como Fernando Pessoa de “Cancioneiro”. Poeta de dimensão mística, o único livro que publicou em vida recebeu o nome de “Mensagem”, uma tentativa de narrar a História de Portugal a partir do lado oculto.


Esse foi o poema resultado de um teste desenvolvido por Fernando Segolin, professor de Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, que com 13 perguntas sobre você apresenta  ao final  com qual poema de qual heterônimo pessoano você se identifica. Vale a pena participar.


Aqui tem o link:http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/testes/que-poema-de-fernando-pessoa-e-voce.shtml?perg=13 Não poderia deixar de compartilhar com vocês.

Visitem lá e me contem qual dos poemas e heterônomos de Fernando Pessoa você se identifica... O meu foi este que postei aqui...adorei!!!!



Postar um comentário

Seguidores

Maukie - the virtual cat