terça-feira, 6 de março de 2012

Na Medula



LEMBRE-SE DE MIM COMO UM POETA 

Quando eu me for, por favor lembre-se de mim como um poeta, e não como um filósofo.
A poesia precisa ser entendida de maneira diferente — você precisa amar a poesia, e não interpretá-la.
Você precisa repeti-la muitas vezes, de tal modo que ela se misture com o seu sangue, com os seus ossos, com a sua própria medula.
Você precisa recitar poesia muitas vezes, de tal modo que possa sentir todas as nuanças, as suas formas sutis.
Você precisa sentar-se simplesmente e deixar a poesia entrar em você, para que ela passe a ser uma força viva. Você a digere e depois se esquece dela; ela entra cada vez mais fundo e o transforma.
Deixe que eu seja lembrado como um poeta. É claro — não estou escrevendo poesias em palavras. Estou escrevendo num veículo mais vivo — em você. E é isso que toda a existência está fazendo.

Osho

Postar um comentário

Seguidores

Maukie - the virtual cat